Top

Como calcular e verificar se o GTIN é um código válido?​

O que é GTIN e quais os seus benefícios?

O código GTIN (Global Trade Item Number ou Número Global de Item Comercial) é o identificador desenvolvido e controlado pela GS1 (Associação Brasileira de Automação), associação multissetorial sem fins lucrativos que implementa padrões de identificação de produtos, como código de barras e EPC/RFID.

A maioria das lojas tem um sistema eletrônico de ponto de venda que permite rastrear vendas e estoque, além de fazer pedidos ao escanear o código de barras.
A maioria dos comerciantes recusam produtos sem códigos de barras. Além disso, muitos distribuidores utilizam códigos de barras para seu sistema de inventário.

Os itens que utilizam o GTIN são aqueles que podem ser precificados, pedidos ou faturados. Ele serve para que seja possível recuperar informações pré-definidas, desde a matéria-prima até o produto final.

Os códigos GTINs podem ter quatro tamanhos de acordo com a estrutura utilizada pela aplicação. São eles:

GTIN-8:

Possui 8 caracteres, codificado no código de barras EAN-8;

GTIN-12:

Possui 12 caracteres, normalmente utilizado no código de barras UPC-A;

GTIN-13:

Possui 13 caracteres, codificado no EAN-13.

GTIN-14:

Possui 14 caracteres, no código ITF-14.

Destes códigos, o mais difundido no Brasil é o GTIN-13 ou EAN-13. Ele pode conter de 7 a 11 dígitos, sendo definido no momento da filiação da empresa à organização.

Também há a numeração de cada item comercial que varia sua capacidade de combinações (1 a 3 dígitos), conforme o prefixo e o dígito verificador.

Outro código muito utilizado no Brasil é o GTIN-14, também chamado de ITF-14 (Interleaved to Five) ou DUN-14 (Distribution Unit Number), utilizado para verificar unidades logísticas de produtos identificados com GTIN-13 ou GTIN-12. Por isso é reconhecido como um código agrupador de produtos homogêneos. É indicado para impressão em substrato com qualidade baixa, uma vez que garante uma melhor leitura do código. Ele não pode ser utilizado para identificar os itens que cruzarão um ponto de venda, portanto são normalmente usados como itens comerciais. A impressão deve ser feita diretamente nas caixas.

Como calcular e verificar se o GTIN é válido?

A validação é feita por meio do dígito verificador, que é o último dígito à direita. É calculada a partir de todos os outros dígitos do número e é usada para assegurar que o código de barras foi devidamente escaneado ou o número corretamente composto.

O número deve ser sempre utilizado em sua totalidade. Nenhum processamento de dados deve ser baseado em uma única parte de um GTIN.

Abaixo podemos ver o exemplo de como é calculado o dígito verificador de um GTIN-13, cujo os 12 primeiros dígitos se iniciam por 789100031550.

Multiplicam-se os dígitos do código por 1 e por 3, em sequência repetitiva:

7 * 1 = 7

8 * 3 = 24

9 * 1 = 9

1 * 3 = 3

0 * 1 = 0

0 * 3 = 0

0 * 1 = 0

3 * 3 = 9

1 * 1 = 1

5 * 3 = 15

5 * 1 = 5

0 * 3 = 0

Somando o resultado das multiplicações encontra-se o total de 73.

O valor total da soma das multiplicações deve ser dividido por 10: (73/10 = 7.3)

Transforme o resultado em inteiro, “arredondando” o número para baixo, ou seja, 7.

Some 1 ao resultado da divisão:  (7+1 = 8)

Multiplique o resultado dessa soma por 10: (8*10 = 80)

Subtraia desse resultado o valor da soma inicial das multiplicações “73”: (80 – 73 = 7)

Portanto, o digito verificador é 7. Dessa forma, o código completo é: 7891000315507.

Se o resultado for um múltiplo de 10, o dígito verificador será 0.

Facebook
Google+
Twitter
LinkedIn
Email

Deixar comentário.


versão - outubro 2018